quinta-feira, 25 de junho de 2015

Na Rua Sem Sol

Caiu na busca, nesta rua comprida e torta e tosca, que traça com esmero o perfil de quem se joga nas suas calçadas, entre bêbados e rudes e súditas a atracar os homens a seus decotes: “Oi, homem bonito, tem aí um cigarro?”
         Exausto do vaivém, para à luz de uma fresta de janela de quarto e lamenta que o número só exista na palma da sua mão. Do quarto, escapam risinhos e gemidos tão lhe desditos, que ele sai do foco da luz para se recompor do “Será?! Não, não pode ser!”.
        Segue teimando na busca. Faltam alguns minutos para amanhecer, e dia claro o esforço é em vão, pois a rua é a Sem Sol, de sem-sal, um salão de fantasmas. Mas meu Deus, a que número chamar, ou invadir? E, se assim, que porta de quarto arrombar?
         Eis o dia! Lá se foram os bêbados e os rudes e as súditas frouxas de affair. Eis a Rua Sem Sol! Mas ele não desiste da busca. Não quer ser sonhador desvairado, o que vê baldado o pedido de um filho. E ontem, ao se deitar, seu filhinho entrou no seu quarto e pediu: “Pai, busca a minha mãe pra casa? ”


56 comentários:

  1. MARINA ALVES
    Assim como se tem Rua do Sol, se tem também Rua Sem Sol. E quem por esta vagueia, indo à procura de seus perdidos sabe a dor que lhe avassala a alma. Desta dor, entende bem, e melhor ainda, quem leva consigo a súplica de mais alguém. E você, Marcio, com toda a sutileza e ternura que lhe são peculiares trouxe à tona um fragmento desta dor. Chico cantaria bonito uma canção nesse tom. Parabéns por esse talento especial de apreender com tamanha sensibilidade o que lhe chega da vida, na voz das gentes, nos gritos das ruas. Abraço.
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  2. Marta Maria

    Menino, que bonito. A Régia me falou das suas publicções. Lembra da sua redação sobre música que parou o colégio? kkkkk. Vou ler todos os seus textos aqui, Márcio. Comecei com este, e ele é forte, muito bem escrito, com talento. Saudade menino. Beijo.
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  3. 17/06/2015 08:37 -







    Elenlemes

    muito bem escrito, triste e bom de ler. mas é um dos casos da vida, a vida tem disso e voce escreveu muito bem. Beijo. obrigada.
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  4. Carol L. Silva

    Bonito mesmo. eu fiquei procurando o que ele buscava. O fim triste é demais, um choque. Um texto ótimo. bem feito. Beijo.
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  5. igs

    Meu amigo poeta que crônica é linda a inspiração, mas você tem o puder de sedução tudo está em tua mãos, meus parabéns e uma excelente quarta feira...israel
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  6. Ana Bailune

    Bom dia, Márcio. Uma linda crônica! Há tantas ruas sem sol pelas cidades, e acredito que em toda cidade haja pelo menos uma... a gente sente a dor do menino e a (des)esperança do pai ao procurar por ela... acho que no fundo, ele espera não encontrá-la. Adorei a história e fico feliz por ter gostado dos meus versos. Abraços e bom dia!
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  7. ELIE MATHIAS

    INTERESSANTE E MAGNIFICA CRÔNICA.UM ABRAÇO POETA.
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  8. Simplesmente Romântica

    Pela primeira vez na sua página. O que dizer, nem sei! Talvez que tenha lido, relido e depois sorvido todo o teor de um texto magnífico, escrito por alguém que sabe como transmitir emoções, pois cada palavra, deixou em mim o vazio de também ter enveredado na busca dolorosa de um ser, desejando ardentemente não encontrá-lo, para não sofrer ainda mais! Meu abraço poético e a certeza de que aqui acabei de encontrar um grande escritor no Recanto!
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  9. Dione Fonseca ( Mamuzinha)

    Que lindo triste texto Quem ama não esquece, Filhos não esquecen mães.
    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  10. Ed O. Lemes

    Um texto de categoria. E será que ele foi buscazr por ela só pelo pedido do filho? Você descreve muito bem a situação. e a rua sem sol, hein. Abraço, Ed.

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  11. Fábio Brandão

    Uma crônica que coloca o dedo em algumas feridas,mas aponta algumas soluções também...Um abraço e felicidades...

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  12. EdelW Teixeira

    Grande amigo esccritor Buriti. Está escrevendo muito. Precisa pescar pra escrever mais. Parabéns.

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  13. Jacó Filho

    Belíssimo e chocante... Parabéns! E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  14. Livia

    muito bonito e forte, dá impacto. parabéns!

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  15. Meire Perola Santos

    Sensacional abraços poeta aplausos

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  16. - Lianatins

    Ficou bem interessante sua crônica poeta Márcio,adorei a história,parabéns!Uma ótima noite cheia de paz,Liana.

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  17. Rafaela Rafita Leme

    É bonito, é solitário, é verdade, é forte. É um dos retratinhos da vida, caro Marcio. Muito bem escrito. Parabéns,

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  18. régia oliveira

    verdadeiro pode ser alegre ou triste. este é triste e bonito pela forma que foi escrito. meu beijo, continue assim.

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  19. Alkas

    Uma história triste e verdadeira... quantas perdidas na rua sel som... quantas lembranças na rua da saudade... grato poeta pela visita, saudações,Alkas.

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  20. Mamma

    Uma crônica iluminada pela imaginação prodigiosa de um escritor magnânimo. Parabéns, caro amigo! Obrigado por suas palavras tão gentis e incentivadoras. Um abraço amigo!

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  21. Aragon Guerrero

    Bonita crônica, Márcio ! Retrato de um mundo paralelo, que merece ser olhado com mais delicadeza e brandura pelas pessoas, e não com desprezo. Como você tão bem mencionou, parafraseando a colega Ana Bailune ; "Há muita coisa sob lápides e vidas". Parabéns amigo, por esta escrita tão humana! . Obs :Te agradeço a leitura de "Dão", e as tuas palavras de motivação , fiquei feliz !

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  22. Maria Mendes

    Bom dia poete, uma crônica inteligente e muito bonita, gosto da forma que escreve é interessante e traz uma bela leitura, abraços. Parabéns amigo poeta.

    Para o texto: Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  23. Miguel Jacó

    Boa tarde Márcio, o teu texto nos evidencia que a vida é conflituosa, e que o transeunte precisa se organizar por um determinado grau de prioridades em suas rotinas, parabéns pela excelente crônica, um abraço, MJ.

    ResponderExcluir
  24. Jeane Diogo

    "Pai, busca minha mãe para casa?'... quanta sofrência há neste pedido! Na rua sem sol ele busca...Adorei sua crônica linda e única, pelo seu conteúdo, Marcio. Aplausos! Beijos no coração. Fica com Deus, sempre! Tenha um bom dia.

    ResponderExcluir
  25. ViniLemes

    cada um melhor. legal que acompanhei toda a busca. dá pra ver. muito bom mesmo. abraço.

    ResponderExcluir
  26. enita

    Li duas vezes. ótimo, manda mais.

    ResponderExcluir
  27. Dolce Vita
    Excelente!

    ResponderExcluir
  28. Lydiene Maryen

    UUAAUU!!! Sua inspiração é dolorida mas; reflete muito bem os becos da vida que muitos se acham desvalidos.... e um a criança sem a mãe ah, quando dor em chamamento d'alma.... Mui Grata por seu carinho em mina página que muito me envaidece. Amei! Carinhosamente beijos mil-Ly.

    ResponderExcluir
  29. Teca

    Emocionante, bela crônica, amigo!

    ResponderExcluir
  30. Wanda Morbeck

    Nossa MarcioBuriti Textos, que realidade bem escrita é descrita
    Parabéns meu poeta ! Meu carinho

    ResponderExcluir
  31. Carlos Rodrigues Gondim Gondim,

    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  32. João Carlos Silvério Duarte

    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  33. Carolina Gomes

    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  34. Fatima Galdino

    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  35. Mario Arita

    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  36. Como foi bom para mim a vida desses instantes magicos que me concedestes viver, prosador poético, literato Márcio Buriti! Envolveste-me, corpo e alma, em tua tocante transfiguração de ser humano às escrituras! Aplausos mais, nobre amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos maiores Sonetistas do Brasil, de quem eu tenho o maior orgulho (até por andar com seu livro no carro) de ser considerado por ele como amigo. Sua presença é muitíssima importante para mim, mestre Odir! Abraço!

      Excluir
  37. E ainda diz que não é Poeta! Que coisa!

    ResponderExcluir
  38. E ainda digo, querida Ysolda, que não sou poeta, que não tenho o mínimo de Ysolda e seu mar. Meu coração é que lhe agradece pela visita. Abraço!

    ResponderExcluir
  39. Gisselda Pereira Borges Cassiano
    Parabéns,,,,pelo conto maravilhoso muito gostoso de ler,,,emocionante,,,,

    ResponderExcluir
  40. Os grandes escritores nos emocionam com os seus escritos, sempre..
    Parabéns MarcioBuriti Textos.
    Alice Pinto.

    ResponderExcluir
  41. Lucia Narbot,
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  42. Claudia De Oliveira Alves,
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  43. Dilce Nery Toledo
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  44. Mario Arita
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  45. Márcia Kaline Azevedo
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  46. Vera del Puente
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  47. Glaucia Jose Lara
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  48. Argumento muito bem desenvolvido. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dolce! Que prazer ter você aqui! Muito contente com sua visita e comentário. Abraço!

      Excluir
  49. LIANATINS POETISA
    marcou sua postagem com +1
    Na Rua Sem Sol

    ResponderExcluir
  50. Muito bonito!


    Mario F. Rossi

    ResponderExcluir
  51. Forte. Sensacional!


    Andréa Figueira

    ResponderExcluir
  52. Onde se lê um texto tão expressivo assim? Receba meu abraço de parabéns, querido Márcio. Beijo!


    Renata V. Mathias

    ResponderExcluir
  53. Que situação, hein? E você a descreve com muita categoria literária. Parabéns!


    Fernando Beltrão

    ResponderExcluir
  54. Fortíssimo! Que situação! Será que ele quis mesmo buscar por ela naquela rua? Meu Deus! Texto que deixa a gente a pensar, Marcio. Beijo, lindo!

    Deborah Cavalinne

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!