sábado, 20 de abril de 2013

Mariinha e a vaquinha malhada Pimenta

AS crianças se sentaram no chão da sala, de frente para o . Agora era a historinha de Mariinha e sua vaquinha malhada Pimenta:
    O pai de Mariinha lhe deu de presen-te de aniversário essa vaquinha; porém, mente quem diz que Pimenta foi com a cara de Mariinha.
  Notou-se isso quando Mariinha foi caçar margaridas e cravo, no campo. Ih! Ao vê-la balançando a saia, Pimenta bateu a pata seguidamente no chão, bufou e investiu contra Mariinha. Ai, se Mariinha não fosse um grilo pra saltar, e não saltasse a cerca... Ai!
    Acontecia isso e aquilo entre os dois, mas o pai de Mariinha lhe dizia: “Tenha paciência Mariinha, pois a Pimenta ainda irá gostar de você...”. Qual o quê! Mariinha dava de ombros: “Não vai não, e eu também não gosto dela, e pronto”.
    Um dia, que Mariinha, esquecida de Pimenta, saiu para colher mangas no pé de manga-rosa, no campo, olha Pimenta marcando a mil atrás dela. Nó! Mariinha nem viu como subiu no pé de manga... E Pimenta lá embaixo, pisoteando a cestinha, bufando pra Mariinha.
    Aí que foi: de tanto susto, Mariinha não deu conta de segurar o xixi, e o despejou na cara de Pimenta. Xiiiii! E Pimenta ó bufou, bufou, esfregou a cara no pé de manga e foi caçar sua turma.
    Semanas se passaram, e o pai de Mariinha notou que Pimenta já não corria atrás dela. Mas, será? Um dia, Mariinha estava na beira do corguinho, distraída como uma florzinha, apanhando goiaba vermelha, quando Pimenta surgiu, e não se soube de onde, marcando a mil, rumo dela.
    Nessa hora, Mariinha já tinha xixi pronto, porém, não estava em cima de pé de nada. E para surpresa, Pimenta se desviou dela, se jogou no corguinho e passou pro lado de lá, marcando a mil atrás de um cachorro-do-mato que ia avançar contra Mariinha.
   Depois disso, foi só sossego. Era Mariinha tirando leite de Pimenta, puxando a orelha dela, dando beijo nela, cantando pra ela O cravo brigou com a rosa. Pimenta não gostava, de jeito nenhum, de ninguém. Só de Mariinha. Tanto é que, quando Pedrinho, coleguinha de Mariinha, aparecia para brincar com ela, Pimenta garrava a berrar e a bufar e a pisotear o chão até Pedrinho caçar sua turma.
     Depois de tudo, tudo mesmo, ai de quem dissesse à Mariinha: “Mariinha, lá em casa há uma vaquinha braba pra danar, e há um pé de manga-rosa...”. Nó! Mariinha virava uma pimenta, de braba... 
   "E que Mariinha não fique sabendo que estou contando essa historinha, viu?”, disse o Vô a ninguém, pois a Gabriela e a Ciça, elas ó, caíram no sono.

7 comentários:

  1. eu tou rindo e é muitooooo
    porque vovó subiu no pé de manga e fez xixi de tanto medo
    da vaquinha ushushushushushus Yasmim

    ResponderExcluir
  2. Divertidíssima sua história, Márcio.

    ResponderExcluir
  3. Que graça, valeu a pena insistir para conhecer esses personganes deliciosos. ler-te é viajar contigo por um mundo mais bonito, obrigada! Abç, Cintia

    ResponderExcluir
  4. Mais uma linda história, Marcio. Sabe, eu e minha cadela Latifa também não nos dávamos bem, e hoje somos inseparáveis!

    ResponderExcluir
  5. hehehehehehe! Que delícia de conto! E esse jeito de falar é meu conhecido. Há muito não via a utilização de "parecença", presente lá no interior. Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Um passeio pela infância querida. Võ contando historinhas incríveis, acalenta a neta com a cadelinha querida.
    Desta vez é a história da vaquinha Pimenta que a princípio, à distância, "não quer papo" com Mariinha. Mas o xixi mágico providenciou o encantamento.
    Texto infantil que agrada a qualquer um sem distinção de idade. O autor usa até de neologismo," parecença " para dar mais ênfase ao seu modo de escrever.
    Senti-me criança. Bj. Márcio

    ResponderExcluir
  7. Que coisa linda! Ternura, simplicidade, muita arte de descrever uma pequena história. Lindaaaaaa! Abraço, lindo Márcio!
    Zeni Peres

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!