sexta-feira, 24 de julho de 2015

Cabides vazios

     Entre os seios da montanha, a volúpia do matiz do sol vinha como aura ao trem que cantava nos trilhos “ma-ri-a-ma-ri-a-ma-ri-a”.
     Muita alegria dá nisso: entorna-se em agonia. Mas à alegria me mesclei. Não me aceitei sem o minucioso mágico de ver chegar o trem que me trazia Maria. Na estação, era como se tivesse em mim um pote de cores e dele escapassem, volúveis, estelares, as que iriam tingir o nosso mundo, o meu e de Maria.
     Aí o trem parou na estação. Aí fui eu, coração de menino a solta, impulsor, sem a nada fazer de conta, pois a vida era a paixão que me levitou até Maria. Maria no meio das gentes; gente que partia, gente que chegava. Milhar de gente, e uma pra mim: Maria de malas no chão.
     Então tudo o que nos cercava se eterizou. Ou ficou na outra margem da deslembrança, que separa planos de vida. E estamos, eu e Maria, noutro plano... Tanto que a janela do meu quarto dá para a constelação de Pegasus, e a estrela Enif dá vida a sua cor laranja em cada fôlego nosso para o beijo.
     Logo ali (e eu a abraço, à janela), depois de Pegasus, logo ali, um beijo depois de Pegasus, a grande constelação Amare, donde nos saltou o amor que vivemos e que nos estrela com faíscas da alegria. Encosto meu rosto no dela para ouvirmos as líricas canções que vagam pelo cosmos.
      Mas aí é que muita alegria dá nisso: entorna-se em agonia. Que Pegasus se apagou, e nada de trem a cantar nos trilhos “ma-ri-a-ma-ri-a”. Há sim o meu gatinho a miar no meio do quarto com medo da chuva, que antes é o vento a bater a janela e os cabides vazios. Então fica assim: eu me sento na cama, pego o gatinho pra cama e deito os olhos nos cabides vazios, caído na certeza dorida de ter vivido mais um sonho de saudade de Maria.


35 comentários:

  1. Corri pra ver e compensou. Que texto, Márcio! Um esplendor! Lindo, lindo! Beijo!
    Priscila T. Ávila

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Um grande texto! Parabéns!
    Ana Augusta Lúcia

    ResponderExcluir
  3. Vanice Zimerman Ferreira
    Bom dia MarcioBuriti Textos, lindo e emociona!Parabéns pela sensibilidade!Abraços, Van

    ResponderExcluir
  4. Vanice Zimerman Ferreira
    compartilhou sua foto CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  5. Passo o dia lendo este amor por Maria. Você e suas Marias, hein? Bonito demais. Beijo!
    Paula Batista Brito

    ResponderExcluir
  6. Muito bom o seu blog. Beijo.
    Lúcia Mars Tuga Ferreira

    ResponderExcluir
  7. Ah, é? A sua Maria não escuta, então eu me chamo Maria, kkkkkkk. Lindo seu texto. Abraço!
    Anna Lanna Versalhes Cury

    ResponderExcluir
  8. Muito bonito, esse sonho do amor por Maria. Muito bem escrito, parabéns!
    Ellen S. Ximenes

    ResponderExcluir
  9. VaneSsa LOpes
    curtiu CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  10. Fatima Galdino
    curtiu CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  11. Carolina Gomes
    curtiu CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  12. Ana Santos
    curtiu CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  13. Um grande amor, uma grande saudade, um texto muito bonito. Abraço.
    Paulo Roberto Júnior

    ResponderExcluir
  14. Lindo o texto. A partir dele comecei a divagar.
    Marlene Gonçalves

    ResponderExcluir
  15. Legal demais. Sua forma de escrever encanta. Obrigada.
    Aline P. Pereira

    ResponderExcluir
  16. Marilene Amaral Branquinho
    Muitíssimo linda sua prosa poética, amigo! Amei! Obrigada! Cada texto seu é presente! Meu coração te aplaude sempre. Boa noite! Iluminado final de semana!

    ResponderExcluir
  17. Gisselda Pereira Borges Cassiano
    maravilhoso texto,fantástico....parabéns,,

    ResponderExcluir
  18. Muito legal mesmo. Um texto ímpar sobre a saudade de alguém. Beeeeijo!
    Ellis Regina Monteiro

    ResponderExcluir
  19. Meire Oliveira
    curtiu CABIDES VAZIOS.

    ResponderExcluir
  20. Claudio Roberto
    curtiu CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  21. Dilce Nery Toledo
    curtiu CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  22. Shirley Couto
    curtiu CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  23. Já vi que aqui é o lugar dos textos lindos. Abraço de parabéns.
    Maria Clara Santos

    ResponderExcluir
  24. Doce. Você escreve divinamente doce. Muito legal o seu blog. Beijo.
    Paulianna M. T. Moura

    ResponderExcluir
  25. Um texto lindo, um amor imensurável, e Maria não volta para ele. Muito bem feito, bem escrito. Beeeijo!
    Thamar de Mello

    ResponderExcluir
  26. Julia Viana
    Boa noite poeta Marcio,parabéns!

    ResponderExcluir
  27. Bom Dia Poeta Marcio.. que maravilha de texto,é como se a gente viajasse ao longo do tempo, encantador,,historias vividas ,repetidas,ás Marias que passam nos nossos sonhos,nas nossa vidas ,,emocionante, um abraço; Gisselda;

    ResponderExcluir
  28. Olá, excelente escritor, parabéns pelo texto. Muito bonito. Obrigada.
    Fernanda Cássia

    ResponderExcluir
  29. Ianie David
    marcou com +1 CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  30. Uma beleza de texto. Mas isso é normal da sua escrita, vejo os outros aqui. Meu beijo de parabéns.
    Joelma Cristina

    ResponderExcluir
  31. Delícia de leitura. Espero o próximo. Beijo.
    Ellen Souza Ximenes Souto

    ResponderExcluir
  32. Realmente muito bonito. Muitos textos bonitos você tem. Parabéns!
    Ígor L. Ferreira

    ResponderExcluir
  33. Querido Márcio. Você escreve como se expressasse sentimentos. Sem filtros, sem fórmulas, sem obediência. Escreve como quer e, querendo, bem escreve. Hoje esteve em minha escrivaninha, no Recanto das Letras, e lá deixou um delicioso comentário. Fiquei sem saber como me achou, vendo-se que não é meu amigo e que não faz parte do site, como um de seus colaboradores. De qualquer forma, muito grata. Visite-me outras vezes, será um prazer tê-lo. Iolanda PInheiro.

    ResponderExcluir
  34. Mariana Alejandra
    marcou com +1 CABIDES VAZIOS

    ResponderExcluir
  35. Engraçado que, lendo agora o seu texto, lembrei-me de "A flor de vidro", de Murilo Rubião, que eu adoro. Mas, é claro, os estilos são bem peculiares, apenas as lembranças, a saudade transformando a ausência em presença, o trem trazendo o nome de Maria... Há uma intensidade de poesia na sua prosa. Também gosto muito de "Mãe acorda!". Muito bom!

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!