sábado, 21 de fevereiro de 2015

Estalo de amor

    Da sacada desta casa abandonada, o lápis me parece abobado num ponto da folha pálida por falta de palavras. Também que palavras, se o cesto da memória está abarrotado de coisas do agora há pouco, e o agora é do amor, que, embora envolva a tudo não me dá a graça de um sopro?
   Opa! Amor?! ― ri-me a folha há segundos anêmica, impoética, em brancas letras. Veio-me um sopro de amor, e daqui eu vejo o casal: encontraram-se, ele tem a mão dela, estão no íntimo da chama com a pólvora, e o agora tem o gosto de muito tempo atrás.
    Vejo-os no parque, nas ruas andando a nada. Ouço o que falam, e estão na madrugada. A chuva os pegou na calçada, e ele a traz para si e a beija. O íntimo da chama com a pólvora se excede, o desejo explode, a essência do amor se faz; não se pode dominar o inesquecível.
    Abrem-se as cortinas do quarto, o amanhecer lhes veio como num revoo de pássaros. Ela, na cama, aos lençóis do silêncio, e nele transborda toda a alegria de não acreditar no tanto amor. Olho para a folha que se anemiza, impoetiza-se, passa-se a brancas letras, pois daqui eu vejo o casal: ela se solta da mão dele, o íntimo da chama com a pólvora se esvai; o amor não alcançou o grau em que se evita o fim.
    Da sacada desta casa abandonada, o lápis me parece abobado num ponto da folha, pois ela se veste, cobre o rosto com as mãos, corre as mãos no cabelo, diz adeus e tudo acaba no cesto da memória, abarrotado das coisas do agora há pouco. Embolo a folha, jogo-a no cesto do lixo.





24 comentários:

  1. Carolina Gomes
    curtiu isso.

    ResponderExcluir
  2. Silvio Oliveira De
    Meu poeta vc é bom demais.

    ResponderExcluir
  3. Antenor Rosalino
    Tão visceral e magnânima poeticidade merece os mais exacerbados aplausos. Parabéns, Marcio, e um grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Vanice Zimerman Ferreira
    Belo e verdadeiro!! Boa tarde Márcio. Abraços, Van.

    ResponderExcluir
  5. Vanice Zimerman Ferreira
    compartilhou ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  6. Meire Oliveira
    Por esta sensibilidade eu o admiro muitó.

    ResponderExcluir
  7. Ângela Santos:
    "Como vc fala do amor com tanta simplicidade? Amo ler tanta singeleza! MarcioBuriti Textos"

    ResponderExcluir
  8. É que de uma folha pálida saltam cores inomináveis ao lápis do poeta. E o que era indescritível, por ser sentidos do amor, de repente se rende ao que todo mundo pode ler e sentir. Só pra provar que Marcio consegue. Encantada!

    ResponderExcluir
  9. Marilene Duarte
    Sua escrita encanta-me.

    ResponderExcluir
  10. João Carlos Silvério Duarte
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  11. Marcia Kaline Azevedo
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  12. Aline Alves Ferreira
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  13. Bruno S. Borges
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  14. Geovana Lemes Da Silva Zago
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  15. Ariadne Cavalcante
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  16. Rafhaella Borges
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  17. Julia escreveu: "Excelente texto poeta MarcioBuriti Textos,sempre escrevendo com talento e inspirações!Uma ótima noite!"

    ResponderExcluir
  18. Julia Viana
    Excelente texto poeta Marcio,sempre escrevendo com talento e inspirações! Uma ótima noite!

    ResponderExcluir
  19. Regina Oliveira
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  20. Mariana de Oliveira
    curtIu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  21. Cida Peres
    curtiu ESTALO DE AMOR

    ResponderExcluir
  22. Lia Fragmentos do Cotidiano
    "Encantado MarcioBuriti. Adorei! *_*"

    ResponderExcluir
  23. Gosto imenso de ler você Marcio. As imagens de sua escrita são tão fortes que não enredar por elas é praticamente impossível. Muito lindo menino. Meu carinho sempre.

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!