sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Benquerenças

Obstinada, não aluia o pé, turrona, dadora de ombros. “É isprito ruim”, o rapaz João dizia. “Isprito ruim garra a gente, encrava-se na gente que nem bicho-do-pé. A Izinha, ele a encasquetou na estampa dum sujeito, e isso lhe seca o jeito de flor”.
― Izinha ― o rapaz João insistia ― você é um brinco de moça, Izinha...
Ela ― Não, eu quero é ele.
João ― Chegô circo. Trapézio, corda bamba, onça-pintada, inlefante, menino das rosas...
          Ela ― Não, eu quero é ele.
        A  vovó  entrou  com  um  olho aberto,  outro  arregalado:  “João,  cê tá amoitando o quê, por trás desse desinquieto pela Izinha?”
       João jurou que jamais. Que isso! Não queria, era ver uma perla de moça, que nem a Izinha, perder o jeito de pétala que o beija-flor abana. Jurou não ter um arzinho de outra cor na benquerença de amizade.
        João ― Não qué passear de charrete? Eu mando aveludar o banco...
        Ela ― Não, eu quero é ele.
       João  ― Mas Izinha, ele ora é da Dora, ora é da Flora, da Aninha, e diinhas atrás, da Magnólia.  Que diacho, Izinha!
        Ela ― Não, eu quero é ele.
       Passou-se o tempo das noivas, o tempo disso e de tudo, e o tempo de moça da Izinha. Um dia, fogueira de Santantõe, quem ela queria, já erado, grisalho, prendeu na sua trança uma flor de orvalho. Aí a mão dela, no zás do bote da víbora, prendeu a mão dele, e ali os abençoou o padre da vila.
       Dia claro, um birita à caça de poesia viu Seu João, sem destino algum, caído num banco dos fundos da jardineira, de rosto nas mãos, caído no choro por Izinha ter-se caído nos braços do outro.


40 comentários:

  1. Hello Marcio! Here in Melbourne, enjoying your text. Portrait of man our of our Triângulo de Minas. Congratulations, buddy. His teacher, Allan.

    ResponderExcluir
  2. Silvio Oliveira De
    bom dia e otima semana, continua sendo meu poeta

    ResponderExcluir
  3. E o que há por trás da beleza de uma flor de orvalho presa numa trança? Só mesmo quem sabe trançar bonito, palavras líricas de sonhos e benquerenças. Eu aqui, de mão no queixo! É o show de Marcio.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Marcio.
    Muito lindo esse causo... rs... Poético por demais!
    Lembrei-me de "Quadrilha" De Drummond
    Aplausos! Um beijo, lu.

    ResponderExcluir
  5. Lucy Mara Mansanaris
    marcou com +1:

    ResponderExcluir
  6. Lucia Narbot
    curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  7. Mariana de Oliveira
    curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  8. Mario Arita
    Compartilhou BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  9. Claudia De Oliveira Alves
    Curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  10. Fátima Galdino
    Curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  11. Muito bom. Parabéns! Tentei te seguir mas não vi a opção do blogger.

    ResponderExcluir
  12. Luziene Borges
    lido, aprovado e compartilhado...bjs

    ResponderExcluir
  13. João Carlos Silvério Duarte
    Compartilhou BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  14. Vera del Puente
    lindo

    ResponderExcluir
  15. Aluia, palavra que fez-me recordar um bom mineiro, meu pai. Adorava ouvir seus contos de assombração. Você faz dos seus contos poesias. Parabéns e obrigada por eu ter a oportunidade de ler seus escritos escritor Márcio. Carinho da Cida.

    ResponderExcluir
  16. Ângela Santos
    Meu poeta preferido, vc surpreende sempre. Lindo!! Bj.

    ResponderExcluir
  17. Ângela Santos
    Que romântico!! Meu poeta.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  18. Ana Bailune,
    curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  19. Olá Márcio,

    Fiquei com peninha do João, mas desejar quem só quer saber de outro é 'fria'-rsrs . E a obstinada Izinha acabou conseguindo quem queria.
    Gostei demais.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Lúcia Freitas
    Curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  21. Lia Fragmentos De Cotidiano
    Curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  22. Marilene Duarte,
    Curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  23. Boa noite Márcio, em cada frase, imagens coloridas repletas de sons, aromas...e emoções, parabéns poeta!!Bjs, Van.

    ResponderExcluir
  24. Bateu o pé e chegou lá. Nem o tempo acabou com a benquerença. Sempre um prazer ler o que escreve. Abraço.

    ResponderExcluir
  25. Lindo e emocionante! Parabéns poeta! Um ótimo fim de semana,
    Bjs, Van

    ResponderExcluir
  26. Ysolda Cabral
    marcou com +1:BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  27. Maria Mineira
    Curtiu BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  28. Julia Viana Lianatins
    Magnífico texto, adorei seu blog poeta MarcioBuriti Textos!!!!Seja bem vindo novamente ao meu face!Um belo dia cheio de paz e luz!

    ResponderExcluir
  29. A benquerença é como o próprio amor, sempre haverá de se sobrepor a tudo e a tudos. Meus aplausos, Márcio!

    ResponderExcluir
  30. Antenor Rosalino
    A benquerença é como o próprio amor, sempre haverá de se sobrepor a tudo e a tudos. Meus aplausos, Márcio!

    ResponderExcluir
  31. Ceiça Lima
    Que lindo...Obrigada....

    ResponderExcluir
  32. Ceiça Lima
    Boa noite amigo querido.. Lindo texto.

    ResponderExcluir
  33. Fantástico, meu amigo poeta, tudo que escreves é belo, tens o dom de encantar!!!!

    ResponderExcluir
  34. Zeni Btz
    marcaram com +1: BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  35. Vera Lúcia Duarte
    marcou com +1: BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  36. Bruno S. Borges,
    curtiu: BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  37. Dalvalucia C. Oliveira,
    curtiu: BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  38. Sergio Marcio Carvalho,
    curtiu: BENQUERENÇAS

    ResponderExcluir
  39. Uma flor de orvalho plantada numa trança, atando mãos, entrelaçando corações perfumados de benquerenças! Lembrou-me Carlos Drummond e sua "Quadrilha", mostrando que o coração não aceita leme e quando encasqueta com uma direção não teme os ventos contrários, na certeza de onde mais cedo ou tarde aportar. Márcio, sempre perfumando as palavras para inebriar-nos a alma! Meu carinho e admiração te abraçam.

    ResponderExcluir
  40. Palvras persistentes, mas fantasiadas de carinho e bem querer conseguiram conquistar o volúvel João. Marcio conduziu o conto como se conduz o amor, cuidando, cuidando sempre. Uma graça . Parabéns, querido Márcio.

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!