quarta-feira, 21 de maio de 2014

Suspense na pracinha

O velho e erudito Observador de Ruas nunca fica sem conversa, ali, no banco da pracinha; nunca. Mas ninguém lhe perfuma o coração como as meninas Ianie, de nove anos, e Yasmim, de oito, que com ele bate um papo rápido, antes do sinal da escola no outro lado da rua. Elas lhe são as preferidas, embora tiram onda com ele com os casos que inventam.
      Elas tiram onda, e ele não se emenda; ou acha legal entrar na onda, talvez pelo carinho que delas se solta. Dia lá, elas chegaram “Oi vô” e já lhe foram contando, uma atravessando a outra, que no bairro tal, a mãe e a filha na cozinha; mas que a mãe saiu à sala, olha a porta escancarada. “Nossa, alguém entrou!”, o velho se estatelou. “Ou vô, peraí “― Ianie lhe bateu de leve, no braço. ― “A menina chegou da escola e não fechou a porta, tá?”
      Bem, aí... ― nessa hora, a dona Zica, a vozinha que vende quebra-queixo, chegou à pracinha. ― Bem, aí a mãe ouviu barulho no quarto e pé por pé deu com a porta aberta. “Santa Mãe! Alguém ligou à polícia?” ― disse o velho, de olhão, estatelado. “Ou vô, peraí pro senhor ver” ― Yasmim lhe bateu de leve, no braço.
       Sim, ligaram pra polícia e a polícia entrou na casa, enquanto lá fora ó, assim, de curioso. Daí, ouviu-se o plaft e o craft de coisas caindo dentro da casa. Um soldado berrou: “Isso, segura esse safado! Arrocha-lhe o pescoço! Ah, bicho sem-vergonha!“. Aí o velho cortou o caso: “Hen, coisa boa é o bicho no xadrez. Lugar de bandido, gente perigosa, é no xadrez.”
      “Que isso, vô,  tadinho!” ― Ianie disse, e o velho  a  contestou: “Tadinho de um bandido, princesinha?”. Aí entrou a Yasmim, num ar de sorriso: “Bandido? Que é isso, vovô! Era gato do mato. Vô, a cidade e as máquinas destroem o lugar deles, e eles saem a procurar comida, tadinhos. Adeusinho, vovô!” ― disseram juntas, já indo atender ao sinal da escola
      Elas se foram, rindo o seu ki, ki, ki, uaushus, shus, shus, e o velho, caído mais uma vez na onda delas, cruzou os braços ao peito, olhou para dona Zica, e a dona Zica do quebra-queixo, disse: “Quem pensava em gato do mato? Eitas meninas, hein?!”.




28 comentários:

  1. Enmanuell L
    marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  2. ¡Hola
    Marcio, me gusta mucho la relación de el Velho con personas, especialmente con las dos niñas.
    Beso! Stell....

    ResponderExcluir
  3. Mais uma historinha que toca o coração! Sempre me emociono ao ler. Parabéns, Márcio Buriti! Abraço aqui da sombra da Canastra.

    ResponderExcluir
  4. Ysolda Cabral
    marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  5. Silvio Oliveira De
    boa meu poeta, parabéns continue sempre assim.

    ResponderExcluir
  6. As crianças sempre nos surpreendem e você tem o dom de nos agradar com seus belos e criativos textos. Bom dia Márcio! Carinho da Cida.

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Márcio, um conto lindo para ler e reler... com um importante alerta, sobre a destruição das matas... Parabéns!!Abraços, Van.

    ResponderExcluir
  8. Naná Santos
    Eita que suas meninas são travessas, heim Marcio!
    Amei o texto, meu querido.
    Aliás, não os deixe de partilhá-los comigo, tá?
    Um abraço

    ResponderExcluir
  9. Carlos Rodrigues Gondim Gondim
    até eu achei que era um safado . muito bom buriti.

    ResponderExcluir
  10. Ianie Davi
    Compartilhou de novo, marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  11. Vera del Puente
    que lindo!

    ResponderExcluir
  12. frankli josue ibarra risco
    marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  13. Vanice Ferreira
    marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  14. Rudi Nicks
    marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  15. Seu conto é gracioso, daqueles que massageiam o coração da gente. ;-)

    ResponderExcluir
  16. magi olazo
    marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  17. Julia Viana
    Emocionante seu conto poeta MarcioBuriti Texto,parabéns,deixo um abraço de amizade!!!!

    ResponderExcluir
  18. Odir Milanez da Cunha
    Tentei o comento pelo celular e deu no que deu, amigo Marcio. Ia dizer-te que "Marcio Buriti é um poeta que se passa por prosista, mas, independente de seu querer, poetiza tudo aquilo que produz." Agora posso registrar os meus aplausos!

    ResponderExcluir
  19. Um abraço bem forte, bem verdadeiro,
    abraço longo, cheio de sentimento.
    Venho deixar meu abraço pelo dia do abraço
    com muito carinho.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  20. Ceiça Lima
    Curtiu SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  21. Olá Marcio
    Quero que a minha visita tenha o mesmo calor que teve a sua em meu blog.
    Sabe, as garotas das suas historinhas são sempre muito inteligentes!
    Ah, antes que eu me esqueça: você notou que os nossos blogs são iguais, cada um com a nossa característica? Legal isso né?
    Gostei demais da sua visita viu?
    Por que você me chama de Iva e não de Van como todos?
    Um abraço e até qualquer dia.

    ResponderExcluir
  22. Mais uma vez o coitado caiu no conto das meninas rsrssr.
    Adorei o seu texto!
    Agradeço a visita.
    Bom dia.

    ResponderExcluir
  23. Delicioso de ler, Márcio.
    Ótimo dia.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  24. Ceiça Lima
    marcou com +1: SUSPENSE NA PRACINHA

    ResponderExcluir
  25. Boa noite Márcio, gostei muito de sua visita, muito obrigada viu! Amei seu texto muito encantador.

    Uma boa noite!

    Maria Machado

    ResponderExcluir
  26. Belo e reflexivo texto, Márcio! Ficamos mesmo tentados a pensar que só adulto sabe contar histórias, mas cada vez que nós as contamos, estamos semeando ou regando o jardim de sonhos e a criatividade das crianças e jovens, a quem quase nem temos "tempo" de ouvir. Talvez porque de algum modo construímos em nós o conceito de que lhes somos a referência e eles nos sejam meros receptores e decodificadores, esquecendo-nos de que temos muito a aprender também com eles. É preciso nos permitir vivenciar as lições que eles nos trazem, treinando nosso coração a ouvir sempre mais e melhor! Meu carinho te beija a alma.

    ResponderExcluir
  27. E o vozinho ressabiado adora essas birncanagens!!
    Delícia de história.

    ResponderExcluir
  28. E pé por pé a gente vai entrando porta adentro, na certeza de que ali sempre acontece uma surpresa. E as duas, hein? Ah, vozinho, trata já de acompanhar essas traquinas que mais novidade pode pintar a qualquer hora. E eu dando os parabéns!

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!