quarta-feira, 7 de maio de 2014

O avesso de uma mãe

À minha mãe, em qualquer lugar que esteja na Espiritualidade, e que receba o meu abraço pelo seu dia. Bênção, mãe. Bênção, mães.


OU, eu sou o Cico. E ó, se minha mãe sonhar o que a vovó me diz, que eu posso comer de tudo das latas dela, pois não tem essa de barriga azangar... Que a vovó põe colchão no chão, do lado da cama dela, pra eu dormir de pé sujo, pois não tem essa de barata lamber... Que eu durmo com ela me contando historinha e fuçando meu cabelo sujo... Vixe, se minha mãe sonhar! Hã! Só conto que a vovó é daqui ó, pra contar historinhas.
       Aí minha mãe, no Dia das Mães, antes de a vovó chegar: “Você e mamãe têm tempo pra inventar historinhas, eu não.”. Ela é que não sabe que me atiçou a inventar historinhas. Enquanto a vovó não chegava, eu inventei O avesso de uma mãe.
       A mãe ao avesso é uma arara tamanhona. Ela saiu para buscar a comida do filhotinho, e dois homens lhe roubaram o pequetito. Aí, que ela chegou e não o viu, mas viu o jipe dos homens na estradinha... , ela pregou atrás!
       “Mãe não se vira ao avesso numa hora dessas, vó?”, perguntei, no meio da historinha. E ela: “Ô, se vira!”. Então, todo o mundo ouviu o grito de guerra dela. Só que os homens, de espingarda, se amoitaram num rancho com o filhotinho. E a mamãe arara, que ficou de tocaia, ouviu: “Vai lá e dá um tiro na mamãe arara.”
        Ai, ai, vai querendo! Que ele apontou a espingarda, vixe, ela foi que nem bala e ó, rasgou a cara dele à unha. Hen, coisa boa! Aí, o homem em ai, ai, ai, o outro saiu; e que apontou a espingarda, vixe, ela foi que nem raio e arrancou a bola do nariz dele com o bico que quebra coco. Hen, coisa boa! “Boa, mesmo.”, disse vovó.
      Daí, mamãe arara entrou no rancho, espatifou a gaiola, tirou seu pequetito de lá, e todo o mundo ouviu o seu grito de vitória, no céu. “O mundo não ouve o grito de vitória de uma mãe, vó?”. Ela: “Ô, se ouve!”. Só que a minha mãe gritou a nossa vitória de lá, da cozinha: “Cico! Mamãe! A pizza!”.
        À noite, o nheeec da porta do quarto da minha mãe me dedurou. Ela: “Lavou os pés, Cico?”. Eu, avexado: “Não.”. Ela: “Tá bem, mas só hoje viu?”. Então eu me grudei nela e lhe disse, baixinho: “Viva o dia das mães, viu mãe?”. Daí... Oh, me chego a chorar: como esquecer o aperto bom, que ela me deu? Hã?




50 comentários:

  1. Fatima Galdino
    curtiu isto

    ResponderExcluir
  2. Silvio Oliveira De
    bom dia, continue assim meu poeta

    ResponderExcluir
  3. Silvio Oliveira De
    meu amigo, os que ainda tem uma mae, nao dao o vr merecido, nos que vivemos das lembraças boas sabemos quanto é sentir uma saudade do colo da mamae,sua protenção e amor, tenha uma otima nsemana.

    ResponderExcluir
  4. Lindo demais! Amor de mamãe arara, nós mães amamos igual. Abraços. Ângela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Anjinha! Prazer receber sua leitura e comentário. Há quanto tempo, hein? Abraço, amicíssima!

      Excluir
  5. Teresita Cardenas
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  6. Flor Morenna
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  7. Joao Pedro Oliveira
    Curtiu O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  8. Claudio Roberto
    Curtiu O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  9. Maria Do Carmo Ferreira
    Curtiu O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  10. Cida Peres
    Curtiu O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  11. Algumas pessoas são feitas de açúcar e sabes retratá-las como ninguém. Como sempre, uma excelente leitura. Bravo Marcio! Abraços,

    ResponderExcluir
  12. Dilce Nery Toledo
    Curtiu O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  13. Leonardo Damian Pavoni
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  14. Onde quer que a sua mãe esteja, vai amar essa pequena história. O amor de uma mãe é belo demais e forte como tudo.
    Abraço
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  15. Jane Sorgetz e O Berço do Mundo
    marcaram com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  16. Luamor Poesias
    Curtiu O avesso de uma mãe.

    ResponderExcluir
  17. Vera Del Puente
    Amei .,,,bj

    ResponderExcluir
  18. Soniva Soares
    Curtiu O avesso de uma mãe.

    ResponderExcluir
  19. Boa Noite Poeta, lindas e emocionantes recordações, parabéns, beijokas

    ResponderExcluir
  20. Só uma pessoa de grande coração que sabe amar o que há de mais bonito nessa vida (criança e animais) pode escrever um conto com tamanha sensibilidade. Boa noite amigo Márcio. Carinho da Cida.

    ResponderExcluir
  21. Que ternura, Márcio!
    Leitura deliciosa.
    Com certeza, de onde está, sua mãe sorriu com essa doce homenagem.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  22. Bom dia, Marcio!
    Obrigada pelo envio.
    Uma historinha doce e amena, com traços da nossa infância, para começar bem o dia e terminar bem a semana.
    Lindo! Amei!

    ResponderExcluir
  23. Vera Lúcia Duarte
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  24. Flor Morenna
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  25. João Carlos Silvério Duarte
    Curtiu "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  26. Boa note Márcio, belíssimo conto, parabéns!!Sou mãe e avó, é especial ler uma homenagem assim!!Obrigada por compartilhar. Abraços, Van.

    ResponderExcluir
  27. Que conto bom de se ler no despertar de uma sexta-feira! Lindo demais. Muita luz e paz. Abs

    ResponderExcluir
  28. Marcio, como é bom vir ao seu espaço! Essa linguagem peculiar, cheia de sensibilidade, é encantadora e mágica. A natureza nos mostra a veemência do comportamento dos animais, na defesa de sua prole. Mães serão sempre sustentáculo e segurança, em todas as espécies. A sua, certamente, lá no alto, recebe sua homenagem com alegria. Abraço.

    ResponderExcluir
  29. Marcio dear, the text is great. Congratulations on the show fondly own side of a real mother. Kiss, kiss. Bye.

    ResponderExcluir
  30. Ilza Nascimento
    E como é bom o aperto de uma mãe, né? Linda, Marcio

    ResponderExcluir
  31. Um ilusionista és, literato Marcio. Em um toque de mágica me puseste criança e me atiçaste a mente para esses voos que somente as asas infantis conseguem alcançar

    ResponderExcluir
  32. Julia Viana
    Magnífico conto poeta amigo MarcioBuriti Texto,um domingo das Mães cheio de felicidades desejo com seus familiares!

    ResponderExcluir
  33. Mignon, mignon, Marcio. Il n'y a pas de temps à lire un texte plein de tendresse pour la fête des mères. Baiser. Très nostalgique. Marie Brésil.

    ResponderExcluir
  34. Ysolda Cabral
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  35. Valéria Matos Escobar
    Parabéns querido poeta pela bela história.

    ResponderExcluir
  36. Uma bela historia. Avós são as mães vivendo um passado com os netos.Conceiçao Gomes

    ResponderExcluir
  37. Mães sempre têm um quê de anjo. Vovós curtem netinhos com encanto de mamãe com açúcar, um anjo pra lá de especial, diferente de todos os seres.
    Sensibilidade genial em colocar as duas em " confronto " em sua narrativa. Aplausos também por inserir no texto o amor de mãe encontrado no mundo animal.
    Chamou-me também a atenção o emprego de expressões nordestinas: vixe, avexado. Não me lembro desse vocabulário em outros textos de sua autoria.. Enfim, Márcio, através de sua historinha, sensibilizou a nós, adultos, que tivemos um dia nossa mãe em nossa companhia.
    Sua mamãe lá do outro lado da vida está abençoando-o. Permita-me parabenizá-la, in memoriam, por ter tido um filho como você: inteligente, humilde, agradecido e que sabe viver em comunhão com todos os seres do Universo.

    ResponderExcluir
  38. Naná Santos
    Curtiu O avesso de uma mãe.

    ResponderExcluir
  39. Lia Fragmentos De Cotidiano
    Curtiu O avesso de uma mãe

    ResponderExcluir
  40. Julia Viana
    Magnífico conto poeta amigo MarcioBuriti Texto,um domingo das Mães cheio de felicidades desejo com seus familiares!

    ResponderExcluir
  41. Maria Mineira
    Fui ler...Que história encantadora! Parabéns, MarcioBuriti Texto!

    ResponderExcluir
  42. Vanice Ferreira
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  43. ¡Debería escribir gran, gran, gran el texto a menudo. Como siempre. Beso, Marcio! Stell.

    ResponderExcluir
  44. Sabia que hoje vim aqui só reler? Pois é! Você escreve de maneira ímpar. Abraço pernambucano, Ysolda./// Ah, Aproveito para agradecer suas visitas e comentários gentis tanto na minha simplória escrivaninha como no Apenas Ysolda III.Valeu, Márcio, você sabe como ser amigo. Adoro isso!

    ResponderExcluir
  45. magi olazo
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  46. Ceiça Lima
    marcou com +1: "O avesso de uma mãe"

    ResponderExcluir
  47. Pois é, amigo poeta, encantador de palavras e corações, ser mãe é também, além de anjo protetor, ter, secretamente, um arsenal de "armas" poderosas com que defender os filhos. Ao sinal de qualquer ameaça, vira "arara tamanhona", vira onça, vira gigante, vira-se pelo avesso! E avó, então, é tudo isso multiplicado, mas também tudo açucarado... como dizia minha saudosa mamãe, "vó é mãe-mãe". Hj, ao ler seu maravilhoso texto, eu não sabia se ria ou se cercava uma ou outra lágrima que teimava em escapulir! Seu danadinho, sempre dando um jeito de nos surpreender e emocionar! Bjs no coração.

    ResponderExcluir
  48. É assim devagarinho, com cara de quem quer goiabada com queijo que a gente vai lendo e degustando. E o Cico, hein? Menino bom de inventar história bonita de mãe ao avesso. Então a gente tira o chapéu sempre pra quem conta bonito assim. Um doce de historinha!

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!