sábado, 23 de março de 2013

Que nem os pintinhos no terreiro


“UM CASAL de pintinhos!”. Diz-se, e se diz do mais tenro do coração, de Vovô Zinho e Vó Dindica, pela aura de amor que os envolve. “Aura dos sete raios profusos do amor que os eterniza”. Raios que vão do azul-rei ao violeta, com o branco-cristalino reservado à casinha ao pé da serra, onde eles vivem. A casinha que, à primeira luz da manhã, é vista do caminho como um poço de gardênias ao pé da serra. E juram os versos mais sensivos da Poesia, que, à noite, a lua branca e desnuda e soberana, doa à casinha todo o seu facho de luz. E é ao terreiro da casinha, à sombra de dois manacás lilases e brancos, que Vovô Zinho fala do seu bem querer à Vó Dindica. E fala que o pé de luz que neles nasceu foi por eles terem-se gostado como um menino gosta de uma menina; porque eles apenas se gostam e pronto. Um gostar sem as arestas das perguntas e as quinas da cobrança, completamente ilhado da desconfiança. Um gostar em que um coração bate tum! e o outro responde tum! Como o que há entre os pintinhos no terreiro... Que nem os pintinhos no terreiro, porque um pia piu! e o outro responde piu! Foi por eles terem-se gostado sem planos e sem inventos que adornassem o gostar, posto que o amor seja um ponto de brilho, em sete cores, cravado ao meio da mais escura montanha. Foi por eles terem-se gostado ao ponto em que, separados por um minuto, se vive uma eternidade de carência. E foi um gostar assim que nem os pintinhos no terreiro: se um crava o bico num grão, a metade é do outro. Foi por eles terem-se gostado sem levar em conta o que foram ontem e o que serão amanhã... Mas pelo toque de mãos do agora de sempre. Um gostar desprovido de ambição da posse desmedida de corpos. Assim como o gostar das crianças; ou que nem os pintinhos no terreiro, que, depois de correrem aqui e acolá, se encostam, por instante, um no outro, e ficam de asinhas quietas, sem piar... É esse o instante eterno em que eles se gostam.

35 comentários:

  1. Que lindeza a descrição desse amor!

    ResponderExcluir
  2. Mas, pelo toque de mãos do agora de sempre... Mãos de Márcio, de encanto, que nos faz viajar e nos delicia com doces histórias, sempre, sempre, sempre! Parabéns Márcio! Abraços

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Marcio. Ainda sob o efeito do encantamento de seu texto, tentarei comentar: um gostar assim é o gostar - aliás, o único - que deveria existir entre as pessoas. Maravilhoso demais...

    ResponderExcluir
  4. O verdadeiro amor só pode mesmo ser descrito com o lirismo, a poesia e a delicadeza encontrados neste texto. Parabéns, Márcio.

    ResponderExcluir
  5. Ah, Márcio! Você escreve com tanta pureza e doçura que enternece o coração da gente de forma tão intensa que ficamos sem saber o que comentar. Que Deus continue lhe inspirando cada vez mais. Um carinhoso abraço, da amiga e fã pernambucana, Ysolda Cabral

    ResponderExcluir
  6. Adorei teu blog e adorei essa historia. Como sempre voce nos entrega muita sabedoria, ainda que escondida numa historia terna e delicada. Forte abraço. Beijos da Marilise

    ResponderExcluir
  7. Marcio
    Gostei muito de seu blog e, adorei a estória ou história (não sei) do casal de pintinhos...quanta sensibilidade no seu relato..parabéns! Um grande abraço da
    Izabel Christina

    ResponderExcluir
  8. Bom dia meu amigo querido. Me emociono com a tua sensibilidade, sempre e cada dia mais... Parabéns! Um beijo em teu coração, fica com Deus, lu.

    ResponderExcluir
  9. Quer saber? Uma maravilha!
    Beijo, querido!


    Anaclara Melina

    ResponderExcluir
  10. Márcio, que beleza, menino! Lindo, lindo! Beeeijo!


    Ana A. Rodrigues

    ResponderExcluir
  11. Muito bom, mas muito bom mesmo.


    Carlos Rodrigues Gondim

    ResponderExcluir
  12. Rafhaela Borges
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO


    ResponderExcluir
  13. Márcio, que beleza, Márcio! Cada texto seu é mais bonito que o outro, que coisa! Beeeijo, meu lindoooo!


    Keyla Beatriz

    ResponderExcluir
  14. É de um gostar assim que todo mundo precisa pra ser feliz: sem as arestas das perguntas, sem as quinas da cobrança, ilhado da desconfiança. Mas duvido que alguém já o tenha descrito tão bonito assim, como Marcio o descreveu. Coisa de quem sabe, então nem se discute. Parabéns!

    ResponderExcluir
  15. Mariana de Oliveira
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  16. Linda e profunda a essência do texto, abraços

    ResponderExcluir
  17. Um gostar sem arestas, bjus


    Vera Del Puente

    ResponderExcluir
  18. Fátima Galdino
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  19. Aline Alves Ferreira
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  20. Ana Santos
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  21. Eu recomendo!


    Ysolda Cabral

    ResponderExcluir
  22. Samir Maia
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  23. Meu tio lindo escritor te admiro demais!


    Élida lemes da Silva Borges

    ResponderExcluir
  24. Gisselda Pereira Borges Cassiano
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO


    ResponderExcluir
  25. Marcia Kaline Azevedo
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO


    ResponderExcluir
  26. Ana Santos
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  27. Lilian Regina
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO


    ResponderExcluir
  28. Bom dia Marcio, bela prosa, um amor encantado, colorido que pincela com emoção, cada palavra, cada frase, parabéns pela sensibilidade!Um amor assim é difícil de ser encontrado e vivido em sua plenitude. Tua prosa suaviza as dores do coração. Um bom feriado! Abraços, Van. Lindas músicas.

    ResponderExcluir
  29. Bom dia Marcio, belíssima prosa, suaviza as dores do coração. Bom feriado! Abraços, Van,


    Vanice Zimermman Ferreira

    ResponderExcluir
  30. Uma prosa fantástica! Seu estilo é mesmo de sua propriedade, Márcio. Narrativa com poesia natural e emocional... Lindo!


    Nathalia da Cunha

    ResponderExcluir
  31. Lindo e perfeito como sempre, querido Márcio!

    ResponderExcluir
  32. Regina Bertocelli
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  33. Rosangela Jacinto
    curtiu QUE NEM OS PINTINHOS NO TERREIRO

    ResponderExcluir
  34. Nossa, um dos textos mais lindos que tenho lido. Lindo messssmo. Bjo,


    Anna Cury

    ResponderExcluir
  35. Marcio, amor mais que perfeito, terno, lindo, encantador. E descrito com essa magia que você coloca em tudo. Um show! Abraço.

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!